quarta-feira, 30 de julho de 2008

O que que eu vou fazer
Com esse amor louco
Pelo poema desesperado?

Porque fui encontrar
Beleza na palavra triste?

Agora sou prisioneiro
De um sofrimento qualquer
Só pelo prazer em escrever

3 comentários:

Cotidianos disse...

É dessa prisão devassa e libertadora que nascem as coisas mais bonitas e tristes também.
Porque vêm do sentimento e carregam a sina de se fazer existir.
O que seria da vida sem o nó no peito e a corda na garganta?

Nadja disse...

Belo poema!


bjoss
xD

Tati disse...

Gosto muito de versos livres - ainda mais quando eles são livres de sentimentos coerentes.