sábado, 18 de abril de 2009

Os sentidos continuam a se desfazerem em mim
Indo livremente além do Dadaismo
Surealizando sonhos sem nexo
Porém com coração

Estou inundando toda minha vida de nada
Ou seja:
Enchendo de nada meu olhar minha arte e meu amor

Desapegado de tudo
E assim;
Sendo o que sou no meu intimo

Livre de sentimentos mortos
Moral ultrapassada
E costumes vencidos

Solto ao avesso, ao contrario
Mergulhando fundo no novo
No escuro azul sem fim

Só Assim criarei asas
E voarei ao mais alto do meu sonho

4 comentários:

ieda disse...

Tambem ando procurando por mim mesma num desapego do eu, num vazio, e no avesso...Essa ardua busca nos joga frente à imensidao. Como é dificil viver nao?! E como atraves do sonho voamos alto, sem fim!

beijos querido mumu!

Dani Santos disse...

Tuas palavras me deixaram emocionadas. Essa busca e esse mergulho em si mesmo. Essa profundidade no azul, esse reencontro do que és.
Feliz por teus vôos-megulhos.

Abraços e asas sempre.

andre.hereck disse...

"Já me dei o poder que rege meu destino.
E não me prendo a nada para não ter nada a defender.
Não tenho pensamentos, por isso verei.
Não receio nada, por isso me lembrarei de mim mesmo.
Desprendido e à vontade, passarei como um jato pela águia para me tornar livre".

força na caminhada irmão.
dea

Auro-rá... disse...

Bacana :)