quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Minha poesia se faz em carne
É fazer carinho no seu cabelo quando deita em meu colo
É te amar devagarinho  e louco como um Deus que cria a Beleza e o Caos
E o Paraiso e receber seu abraço Doce bem na hora do pesadelo

4 comentários:

Luísa disse...

Olá!
Que bom que voltaste ao olhardeperto!

Julgo que perguntavas o que era Cidade Europeia da cultura 2012?
Poisbem, Guimarães, será a CEC2012. Procura em www.guimaraes2012.pt
a seu tempo irão aparecer propostas interessantes, acho eu.
Beijinho terno

Quintanilha FR disse...

saudade, poeta

Triste Flor disse...

E o corpo se transforma em poema... E os sentimentos em versos Que só o poeta sabe decifrar, poesia carne, poesia toque poesia amar...

Tudo lindo por aqui... bjus
fim de semana iluminado!

Berenice disse...

Foi um tremendo prazer desfrutar tuas poesias lindas nesse ano, Thyago! Por isso venho aqui te desejar um bom ano, de muitas idéias e muito inspirador. Tudo de bom pra você!

Beijos
Berenice